Linha dos Caboclos na Umbanda

O que é Caboclo?

 

Quer dizer: simples, um homem simples e nativo da quela região.

Quando uma entidade, um espírito diz que é um Caboclo, tem-se considerado sinônimo de índio, mas Caboclo não é sinônimo de índio.

È apenas uma homenagem aos nativos brasileiros da época do descobrimento do Brasil, pois quando os portugueses chegam a costa brasileira, até então desconhecida, os nativos foram chamados de índios pelos portugueses.

 

Quem são os caboclos?

 

Para a Umbanda quase todos os Caboclos tem se apresentado como índio e não necessariamente tem que ser um índio. Esta é a questão; nem todo Caboclo é índio e nem todo Caboclo foi um índio ou teve uma encarnação como índio.

Os espíritos que se manifestam como Caboclo em sua grande maioria, eles trazem um pouco dessa cultura nativa, dessa cultura do índio, mas não necessariamente eles foram índios. Mesmo que não tenha sido índio, eles podem querer apresentar-se como índio, pois essa é a liberdade que a Umbanda pratica, e chama-se linha de trabalho; forma de apresentação, hierarquia, forma plasmada que um espírito assume, eles se assentam em uma hierarquia. Se o espírito se apresenta como Caboclos 7 Pedreiras, ele pertence a uma hierarquia chamada de “Caboclo 7 Pedreiras” onde então, um deles é o primeiro Caboclo 7 Pedreiras, responsável pela hierarquia, e os demais serão intermediários pois respondem a essa hierarquia comumente conhecida por falanges.

 

Podemos trazer o contexto histórico, – voltando na história de Zélio de Moraes e do Caboclo das Sete Encruzilhadas – A primeira manifestação de Umbanda foi no dia 15 de novembro de 1908, Zélio de Moraes incorpora um espírito e ao ser questionado: “Quem é você?”, ele responde: “Se eu preciso ter um nome, me chame de Caboclo das Sete Encruzilhadas”

Quando alguém perguntou para aquela entidade: quem é você? Ele não respondeu: eu sou o índio das Sete Encruzilhadas, ele respondeu: “Eu sou o Caboclo das Sete Encruzilhadas”,pois exite uma diferença entre ser caboclo e ser índio porque um índio pode ser um caboclo, mas um caboclo não é necessariamente, nem obrigatoriamente um índio.

 

9cc337_6b3ea16cbc444d6082a9ed1e8c03ddc2~

O que o Caboclo representa para religião de Umbanda?

 

Na Umbanda a linha de Caboclo é a linha mais expressiva, a mais presente, a mais forte, e mais significativa junto com a linha de Preto Velho; e podemos afirmar que as duas linhas são as mais fortes porque ambas as linhas representam por si só a representatividade da religião pois dificilmente encontraremos uma terreiro, tenda ou templo de Umbanda que não trabalhe com a linha de Caboclo e/ou Preto Velho, é como se essas linhas fossem o cartão de visitas da religião.

 

Os Caboclos representa o forte, o simples, o humilde, a força, aquela energia do orixá Oxóssi, e uma doutrina de impacto, a imagem. O arquétipo do Caboclo causa uma doutrina de impacto, que choca pela beleza e a força que a linha tem, pois o caboclo brada, assubia, bate no peito e chama para si a responsabilidade de provocar a mudança e reforma intima no umbandista ou para aqueles que procuram seus aconselhamentos.

O Caboclo inspira o respeito pela cultura nativa, pela cultura do índio, pelo homem vermelho, pelo diferente, por aquele que vive na natureza, que cultua a natureza.

 

Caboclo 7 Pedreiras

 

Caboclo 7 Pedreiras é uma entidade espiritual responsável pela organização espiritual e litúrgica do Templo de Estudos umbandistas Caboclo 7 Pedreiras, conhecido carinhosamente como TEU7, uma abreviação simbólica que significa que todos trabalham para acolher, orientar, equilibrar e consolar todos os que nos procuram, independente de sua crença, gênero, raça e cor.